O despiste que mudou o mundial de rallies

RALLY DE PORTUGAL

Passam precisamente 36 anos desde aquele fatídico dia, na Serra de Sintra, no então chamado Rally de Portugal – Vinho do Porto.

O despiste de Joaquim Santos, a 5 de Março de 1986, ao volante do Ford RS200, veio mudar, para sempre, a história do Mundial de Rally.

Naquela manhã, pelas 9h30, logo a seguir à curva da água, na Lagoa Azul, concentravam-se muitas pessoas e na tentativa de se desviar, o piloto perdeu o domínio do carro, o que custou a vida a uma mulher de 36 anos e ao seu filho de 9, assim como a um jovem de 18 anos e ainda ficaram feridas 33 pessoas.

Os pilotos queixaram-se da indisciplina dos espectadores, que muitas vezes só se desviavam muito em cima, num troço de 5 km em asfalto, que era composto por curvas rápidas e lentas.

Por respeito aos familiares dos mortos e feridos, na sequência deste acidente, 22 pilotos e 11 equipas desistiram da 20ª edição do Rally de Portugal.

Foi a última vez que se correu o troço de Sintra e foi, também, o início do fim para os “supercarros”, que chegaram a ter 650 cavalos.